Pense em facilitar sua Recolocação

Superar o momento difícil e encontrar novos rumos pode ser o seu objetivo de carreira no momento. Recolocar-se, mais do que um desafio, parece ter se tornado uma ciência.

Quando pensamos em recolocação, de um modo geral, devemos refletir sobre dois aspectos objetivos:

1.     Quanto o ambiente contribui para nossa atual situação; e

2.     Quanto NÓS contribuímos para que essa situação mude ou não.

Não há dúvida de que o ambiente atual está longe de ser dos mais favoráveis. Ao final de 2016, o Brasil obteve um índice de desemprego recorde, pela primeira vez atingindo o número de 12 milhões de pessoas, uma taxa de 11,8%.

Com a escassez de oportunidades, a disputa pelas posições disponíveis ficou obviamente mais acirrada, inclusive para profissionais qualificados do ponto de vista técnico.

A cada dia, encontro mais e mais profissionais que acreditam estarem prontos para uma nova movimentação, mas há claros aspectos que demonstram o contrário. Atente-se pois o momento é extremamente oportuno para um exame profundo e meticuloso sobre como estamos nos comunicando, nos posicionando e, sobretudo, nos apresentando diante do mercado.

Trata-se de um investimento fundamental a qualquer um, mas principalmente àqueles que não estão acostumados a esta situação, muitas vezes desconfortável.

NÃO SUPERESTIME SUA MEMÓRIA. Não há nada mais fácil do que falar de si mesmo. Não acredite nisso. Poucas vezes revisitamos em detalhe momentos profissionais que fizeram a diferença. Reviver algumas passagens e conquistas é fundamental para o preparo de uma entrevista, principalmente quando o interlocutor se utiliza de técnicas de entrevista por competências.

CONSTRUA EMPATIA ESPACIAL. Ao entrarmos em uma sala de entrevista, estamos inevitavelmente jogando com um aspecto importante da convivência: a distância. Esta será determinante para a construção da intimidade, da empatia, e afetará diretamente o resultado de sua conversa. Os profissionais de recrutamento e seleção são normalmente treinados em comunicação proxêmica. Aproveite a oportunidade com um desses profissionais para acertar sua posição e interação em sala.

APROPRIE-SE DE SEU DISCURSO. Muitas vezes nossa preocupação é tão grande com o interlocutor que a linha de raciocínio se perde, e acabamos criando personagens e discursos que não são nossos. Assuma seu discurso e o entrose com sua realidade, com sua história, com sua verdade. Estruture-o num formato de storytelling. Há inúmeros exercícios e role-plays fáceis e práticos que nos deixam mais à vontade com nós mesmos, com a nossa história. Isso traz confiança, credibilidade e solidez.

MENOS É MAIS. O discurso conciso e estruturado e com exemplos curtos é música para os ouvidos de seu interlocutor. Não entregue tudo de uma vez. Esse modelo desperta curiosidade e fomenta perguntas e trocas fundamentais para o entrosamento da conversa. Da mesma forma, ater-se aos fatos mais relevantes de maneira sucinta sempre agrada aos mais objetivos ou aqueles com menos tempo. Sinta o interlocutor e gerencie seu tempo na conversa. Busque junto a um profissional de mercado explorar em sua história os exemplos ou conquistas que mais fomentarão perguntas e interesse.

FINALIZE NO POSITIVO. Esta técnica é fundamental quando seu interlocutor demonstra pouco conhecimento sobre sua área ou parece pouco preparado para a entrevista. Cuide para que a essência de seu discurso seja absorvida. Nesse caso, ao final de cada passagem, traga o resultado que seu projeto ou atividade gerou. Fatalmente seu interlocutor explorará aspectos adicionais, gerando maior valor ao seu discurso.

Autoconhecimento e repetição trazem confiança e credibilidade ao seu discurso. Investir no desenvolvimento de determinadas habilidades trará resultados que ainda lhe surpreenderão. Preste mais atenção à forma e ao veículo. O resultado será positivamente diferente.